fbpx

Fertilização In Vitro (FIV)

Imagem Fertilização In Vitro (FIV)

O que é fertilização in vitro?

A fertilização in vitro, também conhecida apenas como o FIV ou “bebê de proveta”, é um dos tratamentos de reprodução assistida mais aplicados em todo o mundo, sendo o Brasil um dos países que mais realizada a técnica na América Latina.

As altas taxas de sucesso da fertilização in vitro, que podem chegar até 60% já na primeira tentativa, é uma das razões grande procura e recomendação do tratamento para casais ou pessoas que não conseguem engravidar. Especialistas da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva relatam ainda 80% de chance de a fertilização in vitro funcionar. Outro detalhe que eleva as chances de alcançar a gestação é que a área avançou muitos nos últimos anos.

O método, indicado para diversos diagnósticos de infertilidade e outras situações, consiste na união via laboratório entre o óvulo e o espermatozoide (ambos do próprio casal ou de doadores em alguns casos). Portanto, forma-se o embrião (estágio inicial da concepção) para depois depositá-lo diretamente no útero para que ocorra a gestação (transferência embrionária).

Passo a passo da fertilização in vitro

Embora a transferência dos embriões para o útero da pessoa que vai gestar o bebê seja um dos momentos mais importantes, a fertilização in vitro exige algumas etapas. Uma delas é a coleta dos gametas masculinos (espermatozoides) e femininos (óvulos), nesse caso a mulher precisa passar pela indução da ovulação feita por medicamentos prescritos.

A etapa seguinte é a seleção dos melhores espermatozoides e óvulos para que seja feita a fecundação e desenvolvimento in vitro e, posteriormente, a transferência embrionária, procedimento semelhante ao exame de Papanicolau, é realizada após alguns dias.

Os processos da fertilização in vitro podem começar após a avaliação médica. Entenda como é o passo a passo da fertilização in vitro:

1) Estimulação ovariana

Nesta primeira etapa, o objetivo é estimular a produção natural dos óvulos, uma vez que, no funcionamento normal do corpo, a mulher produz normalmente um óvulo por mês. Sendo assim, a estimulação ovariana consiste no uso de medicamentos prescritos (hormônios) capazes de estimular os ovários a produzir mais óvulos e, desta forma, mais embriões poderão ser formados. Durante esse período alguns exames (exemplo: ultrassonografia e exame de sangue) podem ser solicitados para confirmação de que os folículos estão normais. Simultaneamente a este processo, os espermatozoides do parceiro são recolhidos.

2) Punção em laboratório

Após o exame de imagem (ultrassonografia) confirmar que os óvulos tiveram a evolução esperada e há uma quantidade aceitável, a etapa seguinte é realizar a punção folicular, ou seja, os óvulos serão retirados. Antes de ocorrer a punção, é preciso fazer uso (prescrito pelo médico) de um fármaco que vai amadurecer os óvulos. O procedimento é feito em ambulatório (não é preciso ir ao hospital) com anestesia para que a paciente não sinta nenhum desconforto e dura em média de 15 a 20 minutos.

Ainda nesta etapa, temos mais dois processos: a fecundação de óvulos e o cultivo embrionário. No primeiro, o objetivo é fazer a fecundação dos óvulos com os espermatozoides para que sejam formados os embriões (em laboratório). Isso pode ser realizado por meio da fertilização in vitro convencional ou através do método ICSI. Já o cultivo embrionário, nada mais é que selecionar os melhores embriões e acompanhar o desenvolvimento por alguns dias. Caso algum embrião apresente anormalidades, ele não será usado na etapa seguinte.

3) Transferência dos embriões (transferência embrionária)

Uma das etapas mais importantes na qual os melhores embriões serão transferidos para o útero da pessoa que vai gestar. O procedimento também é feito em ambulatório, portanto, não é necessário hospital e internações. A transferência é relativamente rápida, indolor e, após realizada, pode-se concluir que o tratamento de fertilização in vitro, pelo menos em relação aos processos, foi concluído. Após a transferência, é preciso aguardar alguns dias para que o embrião se implante na parede do útero e a gravidez seja confirmada.

4) Teste de gravidez (Beta HCG)

Passados os dias recomendados pelo médico, é hora de fazer o teste de gravidez, que neste caso deve ser o de exame (Beta HCG). Diante da confirmação, ou seja, do resultado positivo, é preciso realizar uma nova ultrassonografia e repetir o exame de sangue após alguns dias.

Fertilização in vitro indicações

A fertilização é indicada para:

  • Mulheres que fizeram o congelamento de óvulos (criopreservação) e agora desejam engravidar de um filho biológico;
  • Casais que apresentem alguma dificuldade na chegada dos espermatozoides até o óvulo feminino, como alterações na produção ou baixa motilidade do espermatozoide e obstrução das trompas;
  • Mulheres com laqueadura;
  • Endometriose;
  • Idade materna avançada;
  • Mulheres que tiveram problemas na produção dos óvulos e optaram por receber os gametas de uma doadora;
  • Casos de infertilidades sem causa aparente;
  • Casais homoafetivos, porém, no caso de casais do sexo masculino é necessário a doação de óvulos, bem como a barriga solidária para gestar o bebê;
  • Mulheres que desejam produção independente.

A fertilização in vitro é um método que exige acompanhamento criterioso do paciente, bem como amparo de uma equipe multidisciplinar, esta conduzida pelo médico ginecologista especializado em tratamentos de reprodução assistida.

Atualize-se sobre medicina reprodutiva

Ícone Artigos

Artigos

Ícone Artigos

Notícias

Ícone Artigos

Vídeos

Ícone Artigos

Imprensa