fbpx

Criopreservação

Imagem Criopreservação

A criopreservação é um termo que se refere às práticas e métodos de preservação de materiais biológicos, como óvulos, espermatozoides e embriões, via congelamento. O procedimento tem o objetivo de oferecer possibilidades para o tratamento da fertilidade, principalmente no âmbito da preservação social e oncológica.

Um dos exemplos de criopreservação social são as mulheres que optam pelo congelamento dos óvulos em idade fértil, geralmente antes dos 35 anos, para que, posteriormente, uma futura gestação seja obtida usando seus próprios óvulos.

Sendo assim, o congelamento de óvulos é uma alternativa eficaz para mulheres que desejam a maternidade no futuro, porém, precisam se dedicar à carreira, aos estudos, etc., no presente. A técnica também é usada por mulheres que terão sua saúde reprodutiva comprometida, como as pacientes que passarão por tratamento com quimioterápicos, com isso preservamos os óvulos antes de ser iniciado.

Além das mulheres e o congelamento de óvulos, a criopreservação social da fertilidade é feita e indicada em diferentes situações, como:

Congelamento embrionário: preservação de embriões, conduta que pode oferecer mais tentativas na fertilização in vitro (FIV) sem a necessidade de passar por todas as etapas do tratamento.

Congelamento embrionário eletivo: em alguns casos a indicação para criopreservação é estritamente clínica, portanto, acontece com indicação médica e principalmente diante da impossibilidade de transferir os embriões. Em casos assim, todos os embriões são criopreservados e serão descongelados no momento em que a avaliação clínica for favorável à transferência.

Congelamento de sêmen:
a criopreservação seminal é um método seguro e eficiente para preservar a fertilidade masculina, principalmente em casos de procedimentos médicos nos quais será afetada a fertilidade do homem, como quimioterapia e radioterapia ou mesmo vasectomia. Além disso, o método é usado como ferramenta nos procedimentos em que o parceiro não estará presente no dia da aspiração folicular ou da inseminação intrauterina.

COMO É FEITA A PRESERVAÇÃO SOCIAL DA FERTILIDADE?

A preservação social da fertilidade é realizada apenas por clínicas de reprodução assistida, além de ser um procedimento indicado e conduzido pelo médico ginecologista especializado em reprodução assistida.

Em resumo, o procedimento é semelhante às etapas iniciais da fertilização in vitro (FIV), nas quais o primeiro e mais importante passo é a avaliação médica para análise fertilidade e, posteriormente serão realizados os demais processos.

Por exemplo, no caso do congelamento de óvulos, após avaliação clínica é feita a estimulação ovariana via medicamentos, indução da ovulação e punção folicular, finalizando com a criopreservação dos gametas femininos, permanecendo viáveis e preservados em nitrogênio líquido com temperatura de – 196°.

É importante informar que existem regras e critérios médicos definidos pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), sendo ainda a entidade que regulamenta todas as técnicas de criopreservação.