fbpx

O mundo mudou, os costumes mudaram, as prioridades mudaram, enfim… o modo que vivemos hoje é compatível com nossa realidade. Mas quando o assunto é gravidez, infelizmente, o corpo da mulher não acompanhou as evoluções sociais.
Por mais que ainda ocorram gestações antes dos 35 anos, elas já não são tão comuns como no passado. E o problema é que, ao se sentir “pronta” para ser mãe, o relógio biológico já pode estar em atraso.
De acordo com estimativas da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), hoje, a média de idade das mulheres que desejam ser mães é 37 anos. É claro que se trata de uma média, porém, as chances de engravidar naturalmente são bem menores.
A recomendação é: mulheres com mais de 35 anos e com mais de seis meses de tentativas de gravidez sem sucesso, devem procurar um médico especialista. O sonho de ser mãe, de ser pai, não acabou. É neste momento que entra a medicina, que entra a ciência médica.
Após uma avaliação completa do casal, que é feita por meio de exames, a técnica de reprodução assistida é indicada. Ao considerar a taxa de sucesso e grande evolução ao longo dos anos, a fertilização in vitro (FIV) é o método que mais se destaca.
No entanto, o primeiro passo é passar em consulta e fazer uma avaliação completa. Cada caso, cada casal tem a sua história, tem as suas particularidades, então o tratamento é sempre algo individual. Mas o que é “geral” é que existem caminhos.
Se o seu sonho é engravidar, dê o primeiro passo.