fbpx

Endometriose é uma doença ginecológica crônica e inflamatória.

Os principais sintomas associados são: dismenorreia, dor pélvica, alterações intestinais como distensão abdominal, sangramento nas fezes, constipação e infertilidade.

Existe grande associação entre endometriose e a infertilidade, sendo que alguns estudos mostram que entre 25 a 50% das mulheres inférteis são portadoras de endometriose; e que 30 a 50% das mulheres com endometriose apresentam infertilidade

Fonte: Podgaec S, Caraça DB, Lobel A, Bellelis P, Lasmar BP, Lino CA, et al

Protocolos Febrasgo | Nº32 | 2018

O que poucas pessoas sabem é o poder que uma alimentação adequada tem no combate a da endometriose, uma dieta balanceada: rica em vitaminas e minerais pode minimizar os sintomas e apoiar o tratamento na

  • redução de aderências endometriais
  • redução da dor
  • redução da inflamação
  • possível regressão da doença

Visto isso, é essencial um acompanhamento nutricional, afim de uma melhor qualidade de vida.

A endometriose é uma doença estrogênio-dependente, com isso ao consumir alimentos e suplementos alimentares que reduzem os seus níveis, é possível se alcançar o sucesso no tratamento

Uma dieta rica em vegetais e frutas, fonte de fibras e altos níveis de vitamina C,  vitamina E, carotenoides, ácido fólico e licopeno, são micronutrientes antioxidantes que podem ajudar a proteger contra a proliferação celular e diminuir a inflamação.

– Acerola, pimentão amarelo, mamão, goiaba, caju, limão, abacaxi, morango, kiwi, laranja; rúcula, cebola, couve-flor, manga, melancia

– Bife de fígado cozido, óleo de fígado de bacalhau;

– Cenoura, batata doce, espinafre, couve, beterraba, tomate

– Amendoim, semente de girassol, milho, castanha-do-pará, amêndoa

As gorduras (ácidos graxos  poli-insaturados) possuem ações benéficas ao organismo auxiliando na absorção de vitaminas, síntese de energia para o corpo realizar suas funções e também contribui para a formação das células dos tecidos.

São fontes de ácidos graxos: Óleo de linhaça de prímula, fígado de bacalhau , Óleo de gergelim,  Azeite de oliva,  Óleo de girassol,  Abacate, Óleo de amendoim, óleo de milho.

Fontes de ômega 6, são fundamentais para organizar a família das prostaglandinas (substâncias que causam dor e inflamação).

Assim como o Ômega 3 atuando como um anti-inflamatório natural: linhaça, chia e peixes selvagens de agua fria atum, salmão, sardinha, cavala, linguado, anchova entre outros.

O que é evitar!

Reduzir o consumo de alimentos ricos em farinha refinada, pois contém baixo teor de minerais essenciais, além do elevado teor calórico.

A ingestão de açúcar, contido em doces, bolos, bolachas, tortas, deve ser em menores quantidades e bastante cautelosa, uma vez que esse açúcar é fonte geradora de aumento de peso e desequilíbrio da relação insulina/ glicose.

Reduzir o consumo de café, álcool, carne vermelha, produtos derivados do leite são algumas formas de evitar o processo inflamatório no organismo.

Contato (41) 99941-6446

nutritodesco@hotmail.com