fbpx

Embora o processo de concepção de um bebê pareça simples, nem sempre é o que ocorre na prática com muitos casais. Muitas vezes, o sonho de um novo bebê na família transforma-se na ansiedade por um resultado que não se concretiza. Consequentemente, o casal pode enfrentar tristezas e outras dificuldades de ordem emocional. Para tratar dessa questão, a seguir explicamos possíveis causas para uma infertilidade e o que fazer caso uma gravidez pareça impossível de ocorrer.

Quais são as principais causas da infertilidade?

Quando um casal está tentando engravidar, mas as inúmeras tentativas não obtêm um resultado positivo, é bastante provável que um dos parceiros tenha problemas de fertilidade e existe uma grande variedade de causas para tal situação.

Em relação aos homens, eles podem ser inférteis devido a: problemas na produção ou manutenção de seus espermatozoides; infecções ocasionadas por doenças sexuais transmissíveis (DSTs); ocorrência da varicocele; disfunção sexual; ou até mesmo anomalias estruturais em alguma área do aparelho reprodutor.

Já as mulheres tornam-se estéreis com a idade devido a uma redução da função ovariana, bem como a perda da qualidade de seus óvulos. Isto é decorrente do processo natural de envelhecimento de todo o aparelho reprodutor feminino e vale lembrar que os óvulos acompanham a mulher desde o seu nascimento.

Na sequência, é possível observar no gráfico as porcentagens relativas às probabilidades de engravidar e de infertilidade associadas às faixas etárias das mulheres.

Mas existem outros fatores – relacionados ou não à idade – que também podem desencadear a infertilidade feminina dentre os quais citamos: obstruções nas tubas uterinas; anormalidades no útero como pólipos e miomas; presença da endometriose; e modificações do muco cervical, por exemplo.

Além disso, problemas hormonais e imunológicos, em homens e mulheres, podem promover quadros de esterilidade.

Para uma compreensão mais detalhada sobre as causas para a infertilidade, tanto dos homens como das mulheres, acesse nosso post Causas da Infertilidade!

Existem maneiras de preservar a fertilidade?  

Mesmo diante das causas da infertilidade, há que se considerar uma série de atitudes que atuam no sentido de preservar a capacidade reprodutiva tanto dos homens como das mulheres e que, certamente, podem minimizar as chances de se deparar com a incômoda pergunta ‘por que não consigo engravidar?

Em geral, são dicas simples e que visam a manutenção de uma vida saudável sem excessos. Abaixo citamos algumas delas:

  • cuidar do peso, evitando o sobrepeso e a obesidade;
  • praticar atividades físicas regularmente;
  • alimentar-se equilibradamente e com nutrientes essenciais;
  • realizar um controle das emoções visando reduzir os estresses;
  • dormir bem;
  • não fumar;
  • não utilizar quaisquer drogas ilícitas;
  • reduzir a ingestão alcóolica;
  • ter uma vida sexual saudável, evitando as DSTs.

Além do citado acima, é ideal que as mulheres consultem o ginecologista anualmente para fazer os exames de rotina e verificar sua saúde reprodutiva. E, ainda, é possível que, caso optem por ter filhos após os 35 anos, realizem o congelamento de seus óvulos. Dessa maneira, garantem a qualidade dos mesmos, ainda que a gravidez ocorra em idade mais avançada. 

Como saber se sou estéril?

Se há dificuldade em engravidar, mesmo mantendo relações sexuais frequentes e nos períodos em que ocorre a ovulação, é possível que haja um caso de infertilidade no casal. Para confirmar tal suspeita são realizados diferentes exames.

Dentre os procedimentos diagnósticos masculinos realizados citamos o principal deles que é o espermograma. Este é uma análise tanto quantitativa quanto qualitativa do sêmen baseada em certos parâmetros como:

  • volume, pH, viscosidade, cor e aspecto do líquido seminal;
  • concentração, morfologia, motilidade e vitalidade dos espermatozoides.

Caso o resultado do espermograma não identifique uma infertilidade masculina, deve-se, na sequência, realizar exames para detectar uma possível esterilidade feminina. A seguir apresentamos os mais comumente solicitados pelo médico:

  • dosagem hormonal;
  • histerossalpingografia;
  • histeroscopia;
  • ultrassom vaginal.

Ressaltamos que esses exames diagnósticos, com exceção da dosagem hormonal, são capazes de observar as condições anatômicas do aparelho reprodutor feminino e encontrar as diversas causas para a infertilidade da mulher, citadas anteriormente.

Vale salientar que a histeroscopia, uma endoscopia uterina, é mais específica para analisar a cavidade uterina e as alterações no endométrio.

Já a histerossalpingografia verifica detalhadamente, por meio de uma radiografia de contraste, a condição do útero e das tubas uterinas tais como presença de pólipos, miomas, anomalias congênitas ou obstruções tubárias.

Por fim, a ultrassonografia feminina é um exame de rotina, utilizado bastante frequentemente na clínica ginecológica, pois permite analisar todos os órgãos da região pélvica e, inclusive, identificar motivos para uma esterilidade.

Quando procurar ajuda?

Caso você esteja tentando engravidar a mais de um ano e se depare com a pergunta ‘por que não consigo engravidar?’, o ideal é buscar a ajuda de um profissional qualificado.

Ao consultar um ginecologista ou urologista alguns dos exames que citamos anteriormente poderão ser solicitados e a partir de seus resultados o médico saberá como está a situação reprodutiva do casal.

Em seguida, se uma infertilidade for detectada, caberá ao médico encaminhá-los a um especialista em reprodução humana o qual será responsável por orientá-los no tratamento para esterilidade ou na busca por alternativas para uma concepção segura e saudável.

Mas, se você quiser uma atuação clínica ainda mais completa, procure seu médico assim que a decisão por uma gravidez seja tomada. Lembramos que um preparo do corpo feminino e a mudança de hábitos do casal pode facilitar todo o processo para engravidar, além de garantir mais saúde ao futuro bebê.