fbpx

De acordo com especialistas a chance de ter gêmeos é maior em tratamento de reprodução assistida. Isso acontece, pois, para garantir o sucesso da gestação mais de um embrião é inserido no útero.  De acordo com o Conselho Federal de Medicina, em mulheres com mais de 40 anos, o número de embriões pode chegar até quatro.

Segundo Thais Domingos, médica especialista em reprodução humana da Huntington Medicina Reprodutiva, 70 % das mulheres acima de 40 anos podem ter problemas para engravitar. “Dizendo de uma maneira bem grosseira, os piores óvulos vão sendo deixados por último”, explicou.

Diante dessa dificuldade as mulheres optam pela reprodução assistida, onde os óvulos são fertilizados em laboratório e inseridos no útero, e para aumentar a taxa de sucesso, os especialistas aumentam a quantidade de embriões implantados.  Nesse processo a porcentagem de chances de gerar gêmeos pode chagar a 30% dependendo da idade do óvulo.

No entanto, por cautela os especialistas estão optando pela inseminação de apenas um óvulo fertilizado devidos aos riscos que uma gravidez tripla pode trazer para uma gestação. “Há o risco de diabetes, de pressão alta e de trabalho de parto prematuro”, avalia Thais.

Ainda de acordo com a especialista, o importante da fertilização é a idade dos óvulos, e por esse motivo muitas mulheres optam pelo congelamento, que se feito antes dos 35 anos terão mais chance de sucesso. Estudos apontam que os óvulos matem a