fbpx

Hábito alimentar saudável é sempre bom para a vida do ser humano. E quando é utilizada para corrigir alguma alteração orgânica, a dieta equilibrada é ainda mais bem-vinda.

Não existe ainda comprovação científica sobre o verdadeiro poder dos alimentos, porém é consenso que uma dieta equilibrada, rica em vitaminas e minerais pode contribuir para reverter a infertilidade ovulatória. “A dieta entra como um viés ao lado do aspecto qualidade de vida da mulher”, diz o médico ginecologista brasileiro Alessandro Schuffner. De acordo com ele, paralelo aos cuidados com a ingestão de comidas é preciso que as pretendentes a mamães, que enfrentam o problema da infertilidade, pratiquem exercícios físicos e se eximam de hábitos como fumar e beber cafeína e bebidas alcólicas.

Schuffner observa ainda que cada caso é individualizado, mas que a melhor maneira de se evitar um problema de infertilidade é a mulher evitar adiar a maternidade. “A partir dos 35 anos já começa a haver a diminuição da qualidade do óvulo, exatamente pelo envelhecimento da mulher”, destacou o médico, pós-graduado no Jones Institute for Reproductive Medicine, nos EUA.

Um em cada cinco casais tem dificuldades para ter filhos

O médico ginecologista Alessandro Schuffner informa que se calcula que 1 a cada 5 casais tenha dificuldades para engravidar, e as causas podem ser as mais variadas. O especialista explica que o casal considerado infértil é aquele que, com mais de um ano de relações sexuais desprotegidas – sem uso de método anticoncepcional – e freqüentes, não conseguem engravidar.

Alessandro detalha que as mulheres podem ter dessas dificuldades por causa de alterações na ovulação, por causa de lesões nas tubas de Falópio, que podem dificultar ou impedir o acesso dos espermatozóides ao óvulo. Também é comum em mulheres com endometriose e fatores cervicais ou uterinos adversos à locomoção e sobrevivência dos espermatozóides. Conforme o especialista a concepção também pode ser dificultada por fatores como idade avançada ou imunológicos.

No que diz respeito aos homens, conforme Schuffner, a principal causa da infertilidade são as alterações na produção de espermatozóides, com problemas relacionados à baixa quantidade, e na maturação (morfologia anormal). O médico frisa que, afora isso, pode ocorrer dificuldades ainda por conta de obstruções anatômicas que podem bloquear o fluxo do líquido seminal ou por outros fatores, a exemplo de disfunção sexual (impotência), diabetes, problemas do sistema nervoso central e tumores na hipófise.

O ginecologista ressalta, contudo, que a maioria dos casos pode ser solucionada por especialistas.

Jornal Correio da Paraíba – 30/03/2008 – Suplemento Homem & Mulher