fbpx

O caminho para a menor das células do homem percorrer até penetrar no óvulo é um grande desafio, para isso o espermatozoide se prepara por mais meses no testículo. Mas como ajuda-lo para que ele consiga vencer essa corria?
Estudos de cientistas da Universidade de Justus-Liebig, na Alemanha e também de instituições iranianas evidenciam que a atividade física pode ajudar. Após a coleta do sêmen de 261 homens, os pesquisadores pediram para 193 fazerem exercícios aeróbicos durante seis meses.

Após esse período novas amostras foram analisadas, e os resultados apontaram que que a mobilidade e o formato dos espermatozoides haviam melhorado, o que não aconteceu com os outros 68 resultados daqueles homens que não se exercitaram. “Nossas descobertas mostram que a atividade física pode ser uma estratégia simples, barata e eficiente de incrementar a qualidade do esperma”, conclui o fisiologista Behzad Maleki.

No entanto entre os participantes que se exercitaram, 66 treinaram em intensidade moderada, 62 em ritmo vigoroso e 35 de maneira intervalada. Embora todos tenham obtido resultados positivos, a primeira sagrou-se. “Não estamos falando de uma caminhada devagar. Porém, é uma prática condizente com iniciantes dentro do peso adequado e sem doenças associadas”, interpreta o educador físico Tony Meireles, professor da Universiadade Federal de Pernanbuco.

Mas por que o exercício físico faz bem para a fertilidade?

Ao praticar a atividade física, aprimora-se o fluxo sanguíneo e também a chegada do oxigênio até a região dos testículos. Ao movimentar o corpo constantemente, também controla a inflamação e a produção de radicais livres, que se tiverem em excesso podem degradar o ambiente testicular, segundo o urologista Valter Javaroni, chefe do Departamento de Medicina Sexual e Infertilidade da Sociedade Brasileira de Urologia/Seccional Rio de Janeiro.

(Fonte: Saúde Abril)