fbpx

No Brasil, aproximadamente 278 mil casais em idade fértil não conseguem ter um filho. De acordo com a Organização de Saúde (OMS) e sociedades científicas, de 8% a 15% dos casais possuem algum problema de infertilidade. Esse fator é definido pela incapacidade de um casal conseguir alcançar a gravidez após 12 meses de relações sexuais regulares sem uso de contraceptivos.

Junho é o mês internacional da infertilidade e ocasionalmente a mulher é muito lembrada, mas as causas da masculinas da infertilidade não podem ser esquecidas, já que na maioria das vezes a descoberta da infertilidade acontece quando o casal não consegue engravidar e busca um especialista.

Um dos principais fatores do aumento da infertilidade se dá pelo fato das mulheres estarem esperando mais tempo para tentar engravidar.  Entre as mulheres de 35 anos a porcentagem de infertilidade é de 11% enquanto aos 40 anos é de 33%. Já nos homens ocorre devido à baixa contagem e qualidade dos espermas, à varicocele e problemas de ejaculação.

O diagnóstico também pode ocorrer em mulheres que já são mães, e até mesmo naquelas que conseguem engravidar, mas não mantem a gestação até o final.

Segundo o especialista em Biotecnologia, Dr. Philip Wolff a infertilidade compromete igualmente o homem e a mulher, mas a pressão no sexo feminino é maior devido ao fato de que os tratamentos geralmente são feitos nelas, como por exemplo, a fertilização in vitro (FIV), onde é ela quem tomo os hormônios.

Ainda de acordo com o especialista é necessário levar em consideração que a infertilidade não é incapacidade definitiva de gerar uma vida, já que existem diversos tipos de tratamentos, como a fertilização in vitro, inseminação intrauterina, injeção, indução da ovulação, entre outros.

Fonte: Medellin Comunicação