fbpx

Mulheres falam em luto, porque serão muito velhas para um tratamento de fertilidade quando a quarentena do coronavírus terminar.

Em Londres, milhares de casais podem ter perdido a última chance de conceber via FIV uma vez que as clínicas de fertilidade fecharam suas portas na última quarta-feira. Algumas mulheres que estão no limite da idade para submeter-se ao tratamento serão muito velhas em poucos meses.

A Autoridade em Embriologia e Fertilização Humana (HFEA), a qual regula a indústria de fertilização na Grã-Bretanha, determinou que clínicas privadas e públicas parem o tratamento de pacientes que estão no meio de um ciclo FIV até 15 de abril. Todos os novos tratamentos já haviam sido proibidos, uma decisão que provavelmente impedirá o nascimento de pelo menos 20.000 bebês, desejados desesperadamente, caso continue em vigor por 12 meses.

Alguns casais contaram que seus exames e tratamentos foram cancelados horas, ou até mesmo minutos, antes de serem realizados e muitos temem que suas chances de engravidar terão desaparecido completamente quando a quarentena terminar.

”Você não pode fazer seu relógio biológico voltar no tempo”, disse Dra. Catherine Hill, da instituição beneficente de pesquisa reprodutiva Progress Educational Trust. “Tempo é a essência quando se trata de tratamento de fertilidade. Para algumas pessoas a quarentena significa que talvez nunca mais se tornem pais. Essa seria a última oportunidade e eles não podem mais tê-la. Isto é profundamente angustiante e traumatizante.”

Os últimos dados da HFEA mostram que mais de 54.000 pacientes se submeteram a 75.000 tratamentos de fertilidade em 2017, resultando em 20.500 nascimentos. “Se esses números são similares para 2020 – e esperamos que tenham aumentado – a pandemia está afetando silenciosamente a vida de muito mais pessoas do é perceptível de imediato.” Disse Gwenda Burns, chefe executiva da instituição Fertility Network UK.

Ela disse que mulheres no final de seus 30 anos ou início dos 40 estavam se sentindo particularmente ansiosas, temendo que os médicos possam decidir que elas serão muito velhas para continuarem o tratamento de FIV ao final da paralisação. Clínicas públicas geralmente não permitem que mulheres a partir de 40 anos façam uma segunda tentativa de FIV e param de oferecer qualquer tratamento a partir dos 42 anos; as clínicas privadas normalmente recusam-se a tratar mulheres com 45 anos ou mais.

“Seria benéfico se o governo pudesse assegurar que os pacientes não serão prejudicados em resultado da pausa no tratamento devido ao Covid-19.” Disse Burns.

Ligações para linha de assistência de aconselhamento aumentaram em 50% ao longo das três últimas semanas e psicólogos advertem que a quarentena pelo corona vírus tem um efeito “devastador” na saúde mental de pacientes de FIV e gera uma grande tensão nos relacionamentos de casais inférteis.

“Para muitas pessoas, a esperança de uma vida em família acaba de lhes ser tirada.” Disse Christina Fraser, uma conselheira de relacionamento na Coupleworks. Os casais inférteis que ela aconselha no momento estão experimentando as mesmas emoções tipicamente características do luto. Ela diz: “Para diversos casais é um segredo – eles não contaram a ninguém. Então, estão sofrendo sozinhos. E nem mesmo podem ir até a esquina abraçar suas mães.”

Escutar outras pessoas reclamarem de como é irritante ficar com as crianças durante o dia todo ou brincarem com a possibilidade de um baby boom daqui a nove meses é particularmente doloroso para esses casais, pois causa ressentimentos impróprios e gera “filas terríveis” de queixas insignificantes. “Eles não têm onde colocar toda a raiva e a dor que sentem. E se as pessoas escondem tais sentimentos e não podem expressá-los, isto realmente pode levar a uma depressão.” Disse Frasier.

Observer foi contatado por mais de uma dúzia de casais, que esperavam para começar o tratamento, assim que a quarentena iniciou. Uma mulher, cujo marido não pode mais produzir espermas após ter feito quimioterapia para câncer testicular, fará 39 anos no próximo mês e foi recentemente informada que sua reserva de óvulos começou a diminuir. Ela teme que, quando a paralisação terminar, não estará mais apta a conceber. “Basicamente, a situação desencadeada pelo Covid-19 é meu pior pesadelo tornando-se realidade.” Ela disse.

Rose (nome fictício), 41 anos, e seu marido venderam a casa para pagar por um tratamento FIV particular após tentarem engravidar durante três anos. Ela passou as primeiras três semanas de março injetando hormônios diariamente antes de ser avisada, apenas 45 minutos antes de um exame, que seu tratamento todo havia sido cancelado. “Eu fiquei destruída. Estou ciente de que a cada dia, na minha idade, meus óvulos diminuem.” Disse ela.

Ela está apresentando terríveis mudanças de humor desde então e entrando em “enormes discussões sobre assuntos banais” com seu marido. “Nós inclusive tivemos discussões nas quais dissemos um ao outro para encontrar outra pessoa, alguém mais novo e mais fértil.” Embora ela esteja buscando aconselhamento para lidar com seus sentimentos de desespero e depressão, seu marido não quer fazer o mesmo. “É absolutamente horrível.”

O pior de tudo, ela diz, é a falta de reconhecimento de que casais inférteis estão sofrendo por causa do Covid-19. “Você não tem nem ao menos algo para mostrar seu luto, se isto faz sentido. Você não tem nem um túmulo sobre o qual se sentar. Você apenas precisa internalizar sua situação ou ela lhe deixará louco.”

Fonte: The Guardian (https://www.theguardian.com/world/2020/apr/12/thousands-lose-last-hope-of-having-a-baby-as-lockdown-closes-ivf-clinics)