fbpx

Causas relacionadas à idade, maus hábitos de vida, doenças no sistema reprodutivo e até opções de adiamento da gestação no caso das mulheres tem afetado o projeto de família.

Conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), uma média de 08 milhões de brasileiros apresentam situações de infertilidade e necessitam da reprodução assistida para ter filhos.

Mas o que fazer quando algum fator interfere no tão sonhado momento para o casal?

Problemas mais comuns no sistema reprodutivo masculino e feminino

Há causas relacionadas à idade, entretanto, alguns fatores ligados diretamente ao óvulo da mulher e ao testículo do homem podem afetar o tão sonhado momento da gravidez.

Para o público feminino, a principal causa é a endometriose e ocorre em mulheres acima dos 30 anos. A partir dessa idade também é possível acontecer uma alteração da trompa e na reserva ovariana. Abaixo dessa idade é possível citar o problema do ovário policístico, ou a ovulação crônica onde esse ovário não funciona adequadamente.

Já no homem, a varicocele, que são varizes no testículo que causam insuficiência vascular na região é a causa mais comum. Há jovens com chances de ter a varicocele, porém, com o passar dos anos as oportunidades de isso acontecer vão aumentando gradativamente. Mas vale lembrar que a predisposição é pessoal.

“Um dano no DNA, chamado de Fragmentação do DNA é outro fator que pode gerar infertilidade no homem. Tal problema pode ocorrer inclusive devido ao estresse, tão comum no nosso dia a dia.” aponta o especialista em reprodução assistida Dr. Alessandro Schuffner.

Outras causas comuns

O novo papel da mulher na sociedade faz com que a família adie a chegada dos filhos. Com o passar do tempo, algumas dificuldades relacionadas ao assunto, como a diminuição do número de óvulos, a endometriose, e no caso dos homens a varicocele, aumentam. A reprodução assistida é uma saída perfeita para que o casal realize o sonho de construir família.

Há homens que trabalham com exposição a agentes químicos, como os agrotóxicos, e isso também pode causar infertilidade. Tal situação ocorre mesmo que ele não esteja exposto diretamente. Um exemplo é quem mora nas imediações onde ocorre a presença desses agentes.

“Não dá para esquecer os hábitos de vida, tanto do homem quanto da mulher.” acrescenta o Dr. Alessandro. “Uma dieta não balanceada, excesso de álcool, tabagismo, cafeína em demasia, obesidade. É preciso ficar atento a esses itens, pois o descontrole pode afetar não só o sistema reprodutivo como outras regiões do corpo.”

Tratamentos à disposição

Geralmente as causas não são definitivas e existe tratamento para isso.

No caso da varicocele, que acomete os homens, o tratamento é cirúrgico. Já para quem que está exposto aos agentes químicos, fica a dica preventiva, ou seja, usar adequadamente roupas e utensílios de proteção.

Para as mulheres que não ovulam, há medicamentos para que os folículos voltem a crescer. Entretanto, para qualquer tratamento faz-se necessária uma consulta para obter diagnóstico com um médico especialista em reprodução assistida. A análise vai apontar o tratamento mais indicado para cada caso.

Percentuais de sucesso

Pessoas que fazem os tratamentos devidos conseguem ótimos resultados. No caso da fertilização in vitro, por exemplo, mais de 90% das pacientes na faixa etária menor de 35 anos conseguem engravidar. O percentual cai para 80% dos 36 aos 40 anos.

Para casais que desejam retardar a gravidez, o congelamento de espermatozoide e óvulo é uma solução. É a preservação da fertilidade a partir do cuidado com o gameta.

“O sistema de congelamento é mais simples nos espermatozoides. É indicado aos homens que não desejam serem pais até os 50 anos. Contudo, não existe limite para início do congelamento.” finaliza o especialista em reprodução humana, Dr. Alessandro Schuffner.