fbpx

José Augusto Lucca Neto, Vinicius Bonato da Rosa, Vera Lucia Langaro Amaral, Martina Cordini, Alessandro Schuffner, Marcel Frajblat – Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida v.16, n.2. p.97-102, 2012

RESUMO

Introdução: A castanha-do-pará (Berthollitia excelsa) é uma semente nativa do Brasil com composição química rica em proteínas e lipídios, além de uma alta concentra-ção de selênio e vitamina E. Trabalhos indicam a associa-ção destes últimos compostos com o aumento da função reprodutiva em machos. O objetivo deste trabalho foi testar o efeito da suplementação com castanha-do-pará nos parâmetros seminais de camundongos.

Metodologia: Foram utilizados 27 animais mantidos isoladamente e divididos em: grupo 1: (ração + 20% de castanha), grupo 2: (ração + 30% de castanha) e grupo 3 (somente ração). O tratamento teve duração de 83 dias. Ao final do tratamento os animais foram sacrificados em câmara de CO2. A motilidade, concentração e morfologia seminal foram analisadas. O consumo médio e o ganho de peso foram registrados. A concentração de MDA dos espermatozóides foi avaliada através do teste TBARS.

Resultados: não houve diferença significativa nos valores de motilidade e morfologia. A concentração do grupo 2 foi superior à encontrada no grupo 3, porém a do grupo 1 foi inferior. A concentração de MDA no grupo 2 foi maior quando comparada ao 1, e semelhante ao 3, enquanto a do grupo 1 foi inferior ao grupo 2 e semelhante ao grupo 3. Houve uma tendência para uma correlação positiva entre a concentração espermática e a de MDA.

Conclusão: A suplementação alimentar com castanhado-pará não alterou os valores de morfologia e motilidade em camundongos saudáveis, porém ocasionou um aumento da concentração espermática. A concentração de MDA espermático não foi alterada pela suplementa-ção com castanha-do-pará. Para averiguar melhor a sua atividade antioxidante novos estudos deverão ser realizados com um número maior de animais.

Palavras-chave: Reprodução animal, castanha-do-pará, sêmen, concentração e camundongo