fbpx

Lucca JA, Rosa VB, Peixoto AP, Schuffner A. Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. v.15, n.5. p.86, 2011.

Introdução: A zona pelúcida (ZP) é uma estrutura importante do oócito, responsável por evitar a poliespermia, estabelecer um limite físico aos blastômeros e aumentar aderência entre eles. Em ciclos de reprodução assistida algumas vezes são encontrados embriões com ausência da ZP ou por se perderem durante a manipulação ou por algum motivo se rompem durante o desenvolvimento e apresentam desenvolvimento anormal.

Descrição do caso: A paciente com 35 anos e o esposo com 41 anos procuraram a Clínica Conceber relatando dificuldade para estabelecer gravidez. Foi diagnosticado fator feminino de infertilidade e o casal foi submetido a um ciclo de FIV. Após a estimulação ovariana foram coletados 5 oócitos, que após denudados apresentavam estágio de maturação metáfase 2 (MII). Os 5 oócitos foram submetidos a um procedimento de ICSI. N o momento em que os óocitos foram transferidos da placa de ICSI para a placa de cultivo houve o rompimento da ZP. Na avaliação em D+1 constatou-se que 4/5 oócitos apresentavam 2PN, incluindo dooócito desprovido ZP. O embrião em questão apresentou o desenvolvimento semelhante aos demais; 4 células em D + 2, 9 células em D+3. Mórula em D+ 4 eblastócitos em D+ 5. Após avaliação dos embriões para Transferência de Embrião (TE), este não foi escolhido devido as condições excelentes dos demais embriões que também se encontravam em estágio de blastócitos expandido. Logo após o procedimento procedemos com a vitrificação dos embriões excedentes. A paciente apresentou? hCG positivo e encontra-se com gestação de 5 semanas em andamento, apresentando em 2 sacos gestacionais, até o momento.

Comentários: A ZP possui uma série de funções que possibilitam a fertilização de oócitos em ciclos naturais. E m embriões cultivados in vitro sua principal função é proporcionar uma barreira física as blastômeros durante sua clivagem e aumentar a área de contato entre os blastômeros para a compactação. O relato acima mostra que é possível cultivar embriões cultivados com ausência da ZP, assim recomenda-se que o cuidado durante a sua manipulação e transferência deva ser ainda maior, visando a integridade embrionária.

Resumo apresentado no XV Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida – Florianópolis, 2011.