fbpx

Lucca, J.A, Rosa V.B., Tardin R, Travain A, Schuffner A.

Objetivo: Na reprodução humana assistida frequentemente há relatos subjetivos da qualidade das amostras seminais provenientes de bancos de doador de sêmen. A partir desta premissa o objetivo deste trabalho visa analisar a influência da utilização de amostras seminais provenientes de banco de sêmen nos resultados dos procedimentos de ICSI.

Método: Foram relacionadas para esse estudo 177 pacientes que se submeteram a ciclos de fertilização in vitro no período de janeiro de 2011 a março de 2013. Os critérios de seleção foram: ciclos com oócitos frescos, sem receptoras de oócitos e sem biópsia embrionária para análise genética. As pacientes foram dividas em grupo “doador” (n=15) e “controle” (n=162). As amostras utilizadas pelo grupo “doador” são provenientes de um banco de sêmen nacional. Foram excluídas do grupo controle pacientes que não utilizaram amostras frescas de ejaculado. Os parâmetros avaliados foram taxas de gravidez clínica, falha de fertilização, fertilização e obtenção de blastocisto; motilidade e concentração. Para a análise estatística utilizamos os testes Anova e Fisher’s Exact Test.

Resultados: Os resultados obtidos para os grupos “doador” e “controle” foram respectivamente: Taxa de gravidez clínica (35,7 e 32%, p=0,77.), taxa de falha de fertilização (6,7 e 5,6%, p=0,59), taxa de obtenção de blastocisto (21,4 e 27,5%, p=0,76), fertilização (68,1±0,1 e 69,7±0,1, p=0,83), concentração (4,4±0,8 e 5,6±0,7 x106/mL, p=0,57) e motilidade (29,3±2,6 e 68±1,8%, p<0,0001). O parâmetro de motilidade espermática foi o único a apresentar diferença estatística entre os grupos “doador” e “controle”. Discussão: Apesar da discussão acerca da qualidade seminal das amostras provenientes de bancos de doador, este trabalho não encontrou diferenças significativas nos parâmetros principais utilizados para avaliar o resultado dos procedimentos de reprodução assistida. Houve diferença significativa na motilidade dos dois grupos, contudo a comparação foi realizada entre amostras criopreservadas e frescas, o que pode explicar a diferença neste parâmetro. Concluímos que a utilização de sêmen proveniente de banco de doador, apesar de aparentemente inferiores, não afeta negativamente os resultados de fertilização in vitro e taxas de gravidez clínica. Poster apresentado no 17º Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida, em Bonito, MS