fbpx

A escolha de ter filho é algo muito pessoal, sendo assim, algumas mulheres sonham em ser mães enquanto outras não têm esse desejo. Além disso, temos ainda mulheres que querem a maternidade, mas no futuro, já que o momento atual exige dedicação à carreira, aos estudos, por exemplo. Em todas as situações não cabem julgamentos de nenhuma parte. Cada mulher é livre e deve ser respeitada por suas escolhas.

Do ponto de vista médico, a observação fica apenas quanto à idade, principalmente para as mulheres que desejam engravidar no futuro. O corpo, a natureza feminina tem um funcionamento perfeito, no entanto, após os 35 anos algumas mudanças são comuns e esperadas, sendo a queda na quantidade de óvulos uma delas. E essa situação cria uma série de impasses, pois é comum encontrar dificuldades para alcançar a gravidez após essa faixa etária.

Embora a medicina tenha disponível inúmeros tratamento para infertilidade, ainda não existem técnicas capazes de reverter as ações do tempo no organismo feminino, ou seja, impedir o avanço do relógio biológico. Mas isso não significa que o sonho da maternidade, mesmo que no futuro, acabou. Alguns procedimentos podem ser realizados previamente, como o congelamento de óvulos.

A técnica, que faz parte dos métodos de tratamento da reprodução assistida, consiste em preservar os óvulos da mulher ainda em idade fértil, portanto, a indicação é realizá-lo antes dos 35 anos, pois os gametas apresentam maior qualidade. Quando a mulher estiver preparada ou sentir que é o momento ideal, os óvulos preservados em congelamento (nitrogênio líquido a -196 graus Celsius) serão usados na fertilização in vitro (FIV), possibilitando a gravidez de um filho biológico.

O congelamento de óvulos é um procedimento médico seguro e com várias comprovações científicas. Precisa ser indicado e conduzido pelo médico ginecologista especialista em reprodução assistida, mas a escolha é sempre exclusivamente da mulher.